domingo, 6 de março de 2011

Gerês - Diário de uma Viagem IV


A Ponte da Misarela situa-se sobre o cristalino rio Rabagão, em pleno Gerês, perto da Barragem da Venda Nova, mais propriamente no lugar da Misarela. Esta estrutura data provavelmente da época medieval, ou pelo menos de tradição arquitectónica medieval. A ponte está associada a uma famosa lenda, onde o protagonista é o Diabo, daí que muitas vezes esta seja apelidada de “ponte do Diabo”. Reza a lenda que certo dia um criminoso ao fugir da justiça vê-se encurralado nos penhascos sobranceiros ao rio Rabagão. Em desespero, apelou, à ajuda do Diabo, que acedeu, pedindo em troca a sua alma. O Diabo fez, então, aparecer uma Ponte ligando as margens do rio, passando então o criminoso, mas de seguida fazendo-a desaparecer, travando assim as autoridades. O criminoso, arrependido, decidiu procurar um frade para ter a sua alma de volta. Obedecendo ao plano do frade, o criminoso voltou ao lugar a pedir o auxilio do Diabo para a travessia, fazendo reaparecer a ponte. O frade benzeu, então, com água benta a ponte, o penitente recuperou a alma perdida e o Diabo perdeu mais uma batalha do Bem contra o Mal.

A ponte ficou, então, com um carácter sagrado, e ainda hoje se diz que se algo vai mal numa gravidez, deve a mulher pernoitar debaixo da ponte, e a primeira pessoa que pela manhã passar pela ponte deverá ser o padrinho ou madrinha da criança, que deverá receber o nome de Gervásio ou Senhorinha.

De facto, regularmente vários Gervásios e Senhorinhas aqui se reúnem desde há tempos remotos, para celebrar esta lenda, que talvez lhes tenha salvo a vida!

Esta também é uma ponte histórica, já que foi aqui que o exército de Napoleão foi derrotado por paisanos barrosões (1809), que os Liberais vacilaram perante as forças absolutistas do general Silveira (1837), que derrotaram, também, os Cartistas (1837).

Uma visita obrigatória.





5 comentários:

A. disse...

o Gerês é tão lindo!...
belas fotografias!:)
beijo

Sandra disse...

Adorei estas fotos! Todas elas evocam lugares misteriosos e apelam às histórias bizarras e assustadoras que ouvíamos na infância... E que, nestes dias de chuva, apetece voltar a ouvir... Muito bonitas...

Olhar Lunar disse...

Adoro estas fotos e sobretudo a cor, a ambiência das mesmas, para a qual não encontro a palavra exacta. Não são retro, não são românticas, não são oníricas, são tudo isso e mais algo que não consigo definir. Acho que me percebes. E é um traço teu.Abraço.

SKIZO disse...

WonderfulWorkGoodCreations:)

A Luz A Sombra disse...

Lapso... sempre oportuno.
Sempre bons os seus registos.
Abraço
A Luz A Sombra