domingo, 20 de abril de 2014

s/t


3 comentários:

L.S.A. disse...

olho esta belíssima fotografia e é como se olhasse um espalho
Tantas vezes me encontro assim, cara a cara com a solidão!.
Não sei quais os sentimentos que acompanhariam a personagem, mas só procura estes lugares quem prefere afastar-se do ruído que a alegria causa.
Faz-me pensar, se não serei eu no espelho.
Divaguei...! As minhas desculpas.
A fotografia tem um sentimento profundo.

lapsus disse...

Obrigado sempre pelos comentários, pelas visitas. Há muita solidão nestas fotos. Sim...

Um bjnho.

Lapsus

Anónimo disse...

E porquê solidão?
O que eu vejo são tardes de brincadeira, gargalhadas de crianças, e os avós sentados nesse banco de madeira, escurecida pelo tempo.
Juras de amor de dois corações a transbordar de felicidade e esperança como se o mundo se resumisse aquele banco de madeira, envelhecida pelo tempo.
O que eu vejo é tanto ...........
mas não és solidão.
M.S.